Home » Sem categoria » SESSÃO DE TERAPIA – Cavalos marinhos

SESSÃO DE TERAPIA – Cavalos marinhos

rorschach_inkblot_texture_02_by_texturefabrik-d67nlnb

- Certo… E nessa prancha… – Ela mostra novamente a prancha para o homem que cuidadosamente toma mais um gole do seu chá de hortelã. – Você me disse: “essa mancha me faz lembrar um menino, de aproximadamente três anos de mãos dadas com o pai…”, correto?

- Sim.

- Você pode me descrever onde exatamente estão o menino e o pai, passando o dedo sobre a prancha para que eu possa identifica-los?

- Não será possível… Lamento. – Ele apoia a xícara ao lado direito da mesa.

Aperte o play

- Oquei… Então você pode me dizer como você os vê?

- Sim. O homem está aqui ao meu lado esquerdo…

Delicadamente ela inclina a cabeça para o lado franzindo levemente o cenho e volta a olhar para o paciente.

- Certo… Você pode me dizer agora, como você vê o menino?

- Talvez devesse, a senhora mesma, responder essa questão, já que está olhando para ele.

- Estou?

- Sim…

- Você pode me responder então, onde está esse menino?

Ele apenas aponta o dedo para a cabeça no mesmo instante em que levanta uma das sobrancelhas com um tom contemplativo.

- Na sua cabeça?

- Dentro dela, compondo o que resta de mim, distante do tempo e diante de você. Sou um fragmento dos sonhos daquele menino… Seu conto de fadas corrompido.

Ela apenas acena positivamente com a cabeça e observa a imagem por ela mesma.

- Mais chá?

- Não, obrigado… Estou satisfeito.

- Podemos continuar?

- Certamente.

- Você havia dito anteriormente que havia “visto” um menino e seu pai nessa imagem…

- Não… As palavras que usei foram: “me faz lembrar”…

- Certo… – Ela se ajeita na cadeira e o olha atentamente. – E o que exatamente na mancha, lhe faz lembrar o menino e seu pai de mãos dadas?

- Porque vejo nela um aquário…

- Ah… Um aquário? E o que exatamente, na mancha faz você enxergar esse aquário?

- Por conta dos dois cavalos marinhos vermelhos dentro dele… – Ele sorri um sorriso que o torna jovem para sempre. – Uma pena estarem se afastando um do outro, percebe? – ele discorre o dedo sobre a prancha em torno das partes vermelhas. – Mas… Ao mesmo tempo as cores ao redor deles, conota certa alegria… Quase como uma harmoniosa despedida.

- Hum… Compreendo. Está vendo algo a mais que queira me dizer? Talvez sobre o menino e seu pai?

- Não sei se será pertinente, mas enfim… Tenho poucas memórias do meu pai, talvez duas ou três, e essa ressurgiu como uma figurinha premiada para dar continuidade ao álbum, percebe? É uma memória importante para mim, visto sua magia: era um fim de tarde, lembro, pois consigo vislumbrar os últimos vestígios do Sol vermelho entrando por uma grande porta… Não lembro exatamente onde era o lugar. Estava de mãos dadas com ele de frente para o aquário, assim como o segurou para mim pela primeira vez, e apontei o dedo, assim como fiz há pouco, e lhe perguntei sem desviar a atenção do fenômeno que se apresentava diante de mim naquele momento “O que é isso, Pai?” e ele me respondeu “São cavalos marinhos, filho…”. Lembro-me vagamente da sua voz soando nesse exato momento, mas não me lembro do seu rosto, pois me mantive olhando para os pequenos cavalinhos… Uma pena. Ainda assim, o que marcou foi que era a primeira vez que eu via aquele pequeno animal… E a última vez que eu vi meu pai.

Ela aguarda por um momento e apenas o observa.

- O mais engraçado… É que tudo isso aconteceu tão rápido, de repente estou aqui diante à senhora, sem jamais ter tido tempo para chorar…

Ela apoia a mão sobre a dele.

- Você está chorando agora, menino.

About Santiago Gomes Santiago

Em tempos difíceis, uma boa fogueira é melhor que nada.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

BIGTheme.net • Free Website Templates - Downlaod Full Themes